Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular chega ao 9° ano com adesão de 100% dos veículos

Categoria: Geral | Publicado: quarta-feira, maio 3, 2017 as 11:08 | Voltar

O Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV), coordenado pelo Inmetro em parceria com o Programa CONPET, da Petrobras, chega ao 9º ciclo com adesão de todos os fabricantes e importadores de veículos leves. Com isso, 100% dos carros comercializados no País serão etiquetados. A tabela de 2017 foi lançada nesta quarta-feira (26/04), pelo ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, e pelo presidente do Inmetro, Carlos Augusto de Azevedo.

A Etiqueta Nacional de Conservação de Energia, a ser fixada nos vidros dos veículos, apresenta a classificação de eficiência energética de A (mais eficiente) a E (menos eficiente), tanto na categoria quanto na comparação geral, além de informar a autonomia (quantos quilômetros o carro faz com 1 litro de combustível) e os dados de emissão de gases poluentes e de efeito estufa (CO2).

O ministro Marcos Pereira lembrou que quando o Programa começou, em 2009, cinco empresas se inscreveram, e agora ele já abrange todo o setor. “O PBEV incentiva os fabricantes a investirem cada vez mais em novas tecnologias e disponibiliza ao consumidor grande vantagem de poder escolher um veículo menos poluente e mais econômico”, afirmou.

Para se ter ideia do benefício, um veículo compacto classificado como A em sua categoria faz 12,4 km com 1 litro de gasolina, contra 9,3 km de um veículo similar classe E. Isso significa, aproximadamente, 900 reais de economia por ano para um usuário que dirija cerca de 25 km diários, em média, na cidade. Em 5 anos, são mais de R$ 4,3 mil reais de economia, algo que, em alguns casos, pode representar 10% do valor do próprio veículo ou alguns anos de pagamento de impostos.

O presidente do Inmetro, Carlos Augusto de Azevedo, falou sobre o papel do Instituto no apoio ao desenvolvimento da indústria nacional e ao consumidor. “O PBEV trata de três temas muito importantes: consumo de energia, emissões veiculares e competitividade internacional – e essa competitividade traz empregos”, ressaltou.

Ao todo, 14 categorias fazem parte do programa: microcompacto, subcompacto, compacto, médio, grande, esportivo, utilitário esportivo compacto, utilitário esportivo grande, extragrande, comercial leve, minivan, fora de estrada, picape, carga derivado de veículo de passageiro.

Automóveis que forem mais eficientes e obtiverem as melhores classificações em suas categorias e no ranking geral serão contemplados adicionalmente com o Selo Conpet de Eficiência Energética, concedido pela Petrobras.

Nesta edição, a classificação da emissão de gases poluentes continua a ser exibida em letras, como já é feito na avaliação do consumo, o que facilita o entendimento do consumidor ao ler a Etiqueta afixada nos vidros dos veículos. Esta classificação é feita em parceria com o Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), do Ibama.

Para o vice-presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotivos (Anfavea), Marco Antonio Saltini, o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular incentiva a indústria a oferecer produtos cada vez melhores para a sociedade. “A parceria entre os setores público e privado nesses programas é o caminho para atingirmos todo o desenvolvimento que queremos para o país”, afirmou.

Publicado por:

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.